noticias

01/05/2015 - Safety Med Home Care





Tratar o paciente em um ambiente onde há menos riscos de infecção e mais afetividade, ou seja, no seu lar, é uma alternativa que visa à melhoria da qualidade de vida frente às fragilidades de saúde do paciente. O serviço de Home Care, ou cuidado domiciliar, quase sempre esteve relacionado à área de Saúde Coletiva no País, mas voltou-se na última década para o atendimento, principalmente de pacientes com patologias de longa duração, incapacidades ou em estágios terminais.
O movimento de Home Care surgiu nos Estados Unidos, em 1947, na era do pósguerra. Foi quando várias enfermeiras se reuniram e passaram a atender e cuidar dos pacientes em casa. Somente na década de 1960 é que este movimento tomou mais vulto associado à ideia da desospitalização. Atualmente, o serviço é desenvolvido ATENDIMENTO DOMICILIAR MELHORA A QUALIDADE DE VIDA DOS PACIENTES por uma equipe multiprofissional, selecionada a partir do diagnóstico do paciente, responsável pela promoção, manutenção ou reabilitação da saúde do paciente.
Conforme o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde existem atualmente no Brasil, 827 estabelecimentos que possuem o serviço especializado de internação domiciliar, vinculados a hospitais ou equipes do Programa Saúde da Família. A atuação dessas empresas é regulamentada pela resolução Nº11/2006 da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), que estabelece padrões de funcionamento, como, por exemplo, a obrigatoriedade de deixar o prontuário do paciente na residência e de manter os familiares informados sobre a assistência prestada.
A Safety Med, por exemplo, é uma das empresas de urgência e emergência que atuam no estado de Pernambuco. Além do serviço de resgate e remoção, em ambulância UTI ou básica, a empresa oferece atendimento domiciliar. O atendimento pode ter duração de 6h, 12h ou 24h, variando de acordo com as necessidades do paciente. A equipe multidisciplinar é formada por cerca de 80 colaboradores, entre socorristas, médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, farmacêuticos, fisioterapeutas, nutricionistas e administradores. A matriz está localizada no Rio de Janeiro, onde a empresa já possui oito anos de mercado. A filial pernambucana existe há três anos: “Temos atestado de capacidade técnica de todos os clientes favorecendo a empresa na prestação dos cuidados. Os profissionais são qualificados e treinados, nós damos cursos mensais, como curso de combate a incêndio, de socorro, de salvamento em altura, de extricação, desencarceração (retirar pessoas do veículo).
Estamos sempre buscando conhecimento para toda a equipe”, diz Ana Lúcia, gerente da filial. Segundo Ana Lúcia, todos os profissionais são orientados a respeitar os limites. “O profissional acaba entrando na residência de outra pessoa, então é preciso agir conforme a família aceita. Orientamos para que eles tragam a própria alimentação e evitem transitar pela residência. Muitas vezes a gente também observa a família querendo introduzir hábitos que para o paciente não será um hábito adequado para aquela patologia. Nesse caso o profissional também está ali para orientar”, explica. Na avaliação da gerente da Safety Med, um dos maiores benefícios do Home Care é a redução do risco de contaminação do paciente. Outro ponto positivo seria a presença da família: “já foi comprovado que quando o paciente está na sua casa, com familiares próximos, a melhora dele é muito notória, mais rápida até que no próprio hospital. O núcleo familiar é uma peça muito importante”. Além de profissionais qualificados, a Safety Med se destaca pelo uso de equipamentos de ponta para prestação do serviço de Home Care. Entre eles estão o respirador Oxylog 3000 plus, Bilevel Positive Airway Pressure (Bipap), monitor multiparâmetro, desfibrilador, bomba de infusão, mobília (cama, armário, poltrona do papai) etc